5 Grandes construções da Engenharia coordenadas por mulheres

Dia 8 de Março celebramos o dia internacional da mulher, e para isso reunimos 5 grandes construções que tiveram engenheiras, arquitetas e gerentes deixando seu legado no ramo da ciência, tecnologia e construção civil, por coordenarem e serem de grande impacto na realização desses grandes empreendimentos.

1- Brooklyn Bridge

ponte brooklyn

Imagem da ponte do Brookylin

A ponte do Brooklyn foi um dos maiores projetos de engenharia na história americana.  Ao final do século 19, Brooklyn era a terceira maior cidade dos EUA. Nessa época, o East River (separa a Long Island da ilha de Manhattan e do Bronx)  foi utilizado principalmente para transportar mercadorias e alimentos entre Brooklyn e Manhattan. O rio ganhou uma importância econômica muito grande. No inverno de 1867  o rio congelou, paralisando todo comércio. Então a cidade viu a necessidade de melhorar a rota entre os dois locais. Assim, foi autorizada a construção da Brooklyn Bridge.

O engenheiro-chefe da Brooklyn Bridge foi John August Roebling, que em 1869 acabou falecendo vitima de tétano  após um acidente de trabalho, quem assumiu após sua morte foi seu filho Washington Roebling, que por sua vez também se acidentou durante o trabalho subaquático na base dos pilares e sofreu de uma doença que o algemou à cadeira de rodas. Por fim, quem assumiu a obra foi a esposa de Washington, Emily Warren Roebling, que até então, havia estudado vários temas relacionados a engenharia civil, incluindo matemática, resistência dos materiais, as curvas catenária e construção de cabo. Assim Emily assumiu a supervisão diária da construção da ponte e não só concluiu a obra como foi a primeira pessoa a atravessar a ponte, e essa foi uma das primeiras participações de mulheres em grandes obras na historia.

emily

Pintura de Emily Warren Roebling

 

 2- One World Trade Center

one trade center.jpg

Após a destruição do World Trade Center original nos ataques de 11 de setembro de 2001, foram realizados diversos concursos para definir o design e localização da nova torre, que chamariam de Freedom Tower (Torre da Liberdade) e se destacaria como o edifício mais alto nos Estados Unidos, exclusivo para escritórios, estando a uma altura simbólica de 1.776 pés (541,3 m). Com o projeto final lançado em 2005, seu design remete a um prisma e a torre afunila-se octogonalmente à medida que sobe. Além disso, o edifício conta com diversas adaptações para satisfazer as questões de segurança levantadas pelo NYPD (New York City Police Department). Sua execução começou  em 2006 e o edifício foi inaugurado em 2014.

Dentre os responsáveis pela construção e execução da obra, temos  a arquiteta Nicole Dosso, especialista renomada em desafios e soluções técnicas associadas ao projeto de edifícios altos em contextos urbanos complexos. Nicole trabalhou especialmente no nível do solo, lidando com a diferença estrutural das construções ao redor e com a preservação e utilização do espaço.

moça 1.jpg

Foto de Nicole Dosso em frente ao One Trade Center

 

3- The Shard

the shard.jpg

Foto  do edifício Shard London Bridge

Shard London Bridge é um arranha-céu em forma de pirâmide inaugurado em 5 de julho de 2012 em Southwark, em Londres. Com mais de 310 metros de altura, é o edifício mais alto da União Europeia. O prédio conta com 72 andares habitáveis  e foi projetado com eficiência energética, sendo equipado com uma usina combinada de calor e energia (CHP), operando com gás natural da National Grid (companhia de eletricidade e gás natural de Londres). O combustível é eficientemente convertido em eletricidade e o calor é recuperado do motor para fornecer água quente para o edifício.

A engenheira envolvida nessa grande obra foi Roma Agrawal,  renomada engenheira estrutural e graduada em Física,  que trabalhou 6 anos no desenvolvimento e execução da obra, tendo seu trabalho reconhecido pela mídia inglesa em portais renomados  como BBC World News, BBC Daily Politics, TEDx, The Evening Standard, The Sunday Times, Guardian, The Telegraph, Independent, Cosmopolitan, e sendo a única mulher que aparece no documentário feito sobre a obra pelo canal britânico de televisão aberta Channel 4 ( canal 4) chamado  ‘The Tallest Tower’  ( A torre mais alta).

moça 2

Foto da engenheira e da Obra

 

4- ICESat-2/ATLAS

satelite.jpg

Ilustração do satélite ICEat-2 em órbita

 

O ICESat-2 / ATLAS (Satélite de Elevação de Terra, Gelo, Nuvem), é um instrumento de  $ 240 milhões de dólares  que fornece medições para quantificar as mudanças na massa de gelo, seus impulsionadores e o impacto dessas mudanças no futuro nível global do mar, além disso, ele monitorar as trocas atmosféricas de energia, massa e umidade,  e medir a altura da vegetação.

A personalidade por trás do funcionamento desse satélite da NASA é a engenheira aero espacial Aprille Ericsson-Jackson .  Conhecida também por ser a primeira mulher afro-americana a receber um Ph.D.(equivalente ao doutorado nos EUA) em Engenharia Mecânica pela Howard University e a primeira mulher afro-americana a receber um Ph.D. em Engenharia na NASA. Talvez uma das mulheres mais famosas que trabalham para a NASA hoje, Ericsson é a primeira mulher afro-americana a ganhar um Ph.D. em engenharia mecânica de uma Historically black college and universitie, ou HBCU ( faculdade historicamente destinada a estudantes afro-americanos). Atualmente, Aprille é a gerente do projeto ATLAS e é reconhecida mundialmente.

moça 3.jpg

Foto de Aprille na Goddard Space Flight Center

 

5- Usina Capivari-Cachoeira

capivari.jpg

Foto da usina hidrelétrica cavipari cachoeira

Localizada no município de Antonina, no Paraná, a Usina Hidrelétrica Governador Pedro Viriato Parigot de Souza (antiga UHE Capivari-Cachoeira) é atualmente a maior central hidrelétrica subterrânea do sul do país com a capacidade total instalada de 260 MW, produzidos por 4 unidades geradoras, e o seu reservatório tem capacidade de aproximadamente 1,5 milhões de m³ e 16,3 Km² de área.

 A mulher por traz dessa obra hoje  está imortalizada como a “pioneira da engenharia” no Brasil, trata-se de Enedina Alves Marques(1913-1981), em 1945 foi  a primeira mulher a se formar em engenharia no estado do Paraná, e a primeira engenheira negra do Brasil, graduada  no curso de Engenharia Civil na Universidade do Paraná. Como engenheira, participou de diversas obras importantes no Estado e foi uma grande ativista dos direitos das mulheres, em sua homenagem, foi fundado o Instituto de Mulheres Negras Enedina Alves Marques, empenhado em combater a invisibilidade racial que atinge negras e negros em diversos setores, como o ambiente escolar, o mercado de trabalho e as demais esferas sociais.

moça 4.jpg

Foto de Enedina Alves, primeira engenheira civil brasileira

 

Fonte: Inbec, Quora, LovingNewYork, SOM, Aprille-MarisaMcdowell, nsbp,

 

Anúncios
Postado em Sem categoria

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s