Por que não no Catar?

A Copa do Mundo da Rússia acabou e já deixa saudades para aqueles que adoram assistir jogos atrás de jogos e sentir o famoso “clima de Copa”. Para os mais fanáticos, duas informações que incomodam: o próximo mundial será apenas em 2022 e em um lugar no mínimo inusitado, o Catar

catarq-900x505

Se havia alguma dúvida sobre qual o único fator importante na escolha das sedes das Copas do Mundo pela Fifa, ela foi desfeita em 2010. A opção pelo Catar foi meramente financeira e disfarçada pela entidade com o discurso de “levar o futebol a novas fronteiras”. A vitória do Catar foi classificada como tendo alto risco operacional pela mídia estadunidense, australiana e britânica e foi severamente criticada após os escândalos de corrupção na FIFA.  Dinheiro não será problema para o maior exportador de gás natural liquefeito do mundo, e por isso os delegados da Fifa, como Joseph Blatter – hoje banido do futebol – levaram a Copa para o Oriente Médio.

Muitos fatores sugerem que o Catar pode não ser uma boa opção para sediar uma Copa do Mundo, como questões políticas, já que o país não reconhece o estado de Israel e uma eventual classificação do país poderia criar problemas; questões religiosas que preocupam diante do conservadorismo radical; e o calor, visto que em determinados períodos do ano as temperaturas costumam chegar a 50 graus centígrados. Porém, a FIFA e o governo local garantem que os problemas serão contornados. Por exemplo, o evento foi marcado para ser realizado em uma data alternativa de 2022 – novembro e dezembro –  visando um período com temperaturas sensatas para realização de partidas de futebol.

FBL-QATAR-WC-2022-STADIUM

Entretanto, existe um fator que confirma que a Copa do Mundo no Catar já é um verdadeiro desastre. Um novo relatório da Anistia Internacional revelou, em 2013, que o setor da construção civil no Catar encontra-se repleto de abusos, com os trabalhadores empregados em vários projetos de milhões de dólares sendo intensamente explorados. No país, a maioria da mão-de-obra barata é formada por imigrantes do Nepal, Índia e Paquistão que são expostos a longas jornadas – muitas acima de 12 horas – e lidam com um ambiente de trabalho pouco seguro e carente de infraestrutura adequada. Há relatos de condições análogas à escravidão nas obras da Copa. Passaportes são confiscados e os salários são retidos pelos chefes durante meses. Tudo isso sob as condições climáticas bastante improprias.

Um relatório da International Trade Union Confederation constatou que 1200 imigrantes, a maioria da Índia e do Nepal, já perderam suas vidas em 2015 e a estimativa da entidade é que, no total, 4 mil operários vão morrer até o começo dos jogos, em 2022. As mais diferentes adversidades nas condições de trabalho levam os trabalhadores à morte: acidentes de trabalho, ataques cardíacos, doenças desenvolvidas por conta da vida precária e até suicídio. Um representante do comitê organizador da Copa no país negou as informações e disse que os números estavam errados.

Comissões de direitos humanos pedem o fim do sistema local chamado “kafala”, muito comum nos países árabes do Golfo Pérsico. Nesse sistema, os imigrantes sem qualificações e dinheiro entram no Catar para trabalhar com a ajuda de um “patrocinador”. Este paga o visto, o custo da viagem e a hospedagem. Geralmente, essa pessoa é o futuro chefe, abrindo margem para a exploração dos trabalhadores: eles chegam ao país já devendo para seus empregadores.

O problema está longe de ter fim e todo o crescimento em infraestrutura almejado pelo Catar pode apagar a situação trágica de segurança do trabalho nas construções de metrôs, aeroportos, redes ferroviárias, hotéis e estádios. O crescimento econômico do país de 15,5 a 21 por cento ao ano é manchado por milhares de mortes de operários imigrantes.

FONTE: ESPN; Exame; Ig.

IV CONPET CIVIL e o seu legado

Estamos em clima de CONPET Civil! E para receber a quinta edição, que acontece neste final de semana em Ouro Preto/MG, nada melhor do que relembrar as experiências do IV Congresso Nacional dos grupos PET de Engenharia Civil. Mais do que isso, compartilhar tudo o que esse querido encontro nos proporcionou, nos fez refletir e crescer. Voltamos muito mais petianos! (ou “pétianos”, como se diz lá no Nordeste)

15032063_1817489821860432_6760207342397979148_n

Foto do IV CONPET CIVIL com apresentação da logo oficial do evento.

O PET Civil UFJF tem um carinho enorme por este evento que nasceu em Juiz de Fora e está ganhando novas proporções. A quarta edição reuniu 14 grupos nos dias 28, 29 e 30 de abril de 2017, em Fortaleza/CE, e teve como tema: “PET Civil: Filosofia, Ação e Legado”. Foram 03 dias de autoconhecimento acerca do nosso papel de transformar o mundo, cheios de motivações vindas das experiências dos outros grupos PET, com petianos e graduandos discutindo seus desafios enquanto futuros profissionais, acompanhados por professores tutores que lutam conosco pela continuidade do Programa de Educação Tutorial. Momentos oportunos para refletir e criar algo novo!

O que queremos deixar como nosso legado?”, “Qual a função social do engenheiro?”, “Como o desafio irá nos potencializar?”. É a nossa formação enquanto petianos lado a lado com a profissão que vamos carregar no peito: engenheiros civis!

O evento fomentou debates durante toda sua programação, contemplada por palestras, mesa redonda, grupos de discussão (GD’s), atividades de integração e apresentação de trabalhos. Atividades de teor mais técnico permitiram maior proximidade com algumas das áreas de atuação na engenharia, ao apresentar uma proposta de desmistificação do concreto protendido, o plano urbanístico de Fortaleza para 2040 e, ainda, a competição de estruturas recíprocas feitas a partir de palitos de picolé.

Foi ainda espaço para apresentação de trabalhos, publicados com número DOI (Digital Object Identifier System) e com ISSN. Na oportunidade, PET Civil UFJF foi representado pelas petianas Cassia e Gabriela com o trabalho “Concurso Mola”, acerca da competição desenvolvida com o Mola Structural Model; e por Bruno e Sarah com o trabalho “Boas práticas para Prevenção de Acidentes na Construção Civil: participação dos trabalhadores e programas de treinamentos”, oriundo do projeto de pesquisa em comum. (Para acessar plataforma com todos os trabalhos do evento, clique aqui)

18119284_1897091763900237_3228742351595179426_n

Programação oficial do IV CONPET CIVIL – Fortaleza/CE.

17760235_1886131898329557_4319840972222543368_n

Apresentação dos temas dos Grupos de Discussão (GD’s).

Mais do que um encontro por área, um encontro de pessoas. Foram 14 grupos PET Civil reunidos pelo amor ao Programa de Educação Tutorial, sejam petianos ativos, petianos egressos, bolsistas ou voluntários. Um evento pequeno, se comparado a SudestePET e ENAPET, mas que, por conta disso, fortalece a proximidade com cada integrante, constrói laços de amizades ao compartilharmos vivências e dificuldades semelhantes.

IMG_5305

Grupo PET Civil UFJF no IV CONPET Civil.

O PET Civil UFJF não irá esquecer das tapiocas do café da manhã, dos sotaques diferentes de cada canto do Brasil, da primeira viagem de avião de alguns integrantes, das altas “resenhas”, da quadrilha, da feirinha, da praia, dos cordéis, da terra do sol. E ficará guardada com muito carinho toda a hospitalidade que recebemos dos petianos do Ceará, nossos anfitriões, que escreveram cartinhas para cada membro do grupo compartilhando muito amor, como esta daqui:



Olá, Gabriela! Tudo bem com você?

Gostaria de começar essa carta dizendo que não é tão fácil escrever algo para alguém que não conhecemos tão bem. As palavras são meio desajustadas, a gente não sabe o que de fato falar. No entanto as coisas começam a se “aprumar” e as ideias se ajustam na cabeça quando eu lembro que, embora você seja totalmente diferente e desconhecido por mim, nós temos algo em comum: estaremos, nos próximos dias, desfrutando da programação do IV CONPET Civil.

Que felicidade “medonha” estar te recebendo aqui em Fortaleza para o CONPET. Eu, em nome de toda a organização do evento, quero te dar as boas-vindas a Fortaleza e te desejar que o congresso supere todas as suas expectativas. Foram mais de 260 dias de muito trabalho duro para que você pudesse desfrutar de um evento sensacional. Todos nós da organização estamos à sua disposição para dar todo e qualquer suporte a você durante sua permanência aqui na cidade, pode contar com todos nós, inclusive comigo!

A programação foi toda pensada para que discutíssemos profundamente a filosofia, ação e legado do PET, mas sem deixar de lado os campos de conhecimento/trabalho da engenharia civil. Independentemente de qual seja a sua maior aptidão na engenharia, com certeza o evento será de enorme valor tanto para a engenheira civil Gabriela quanto para a petiana Gabriela.

Estou no PET desde julho de 2014 e, durante esses quase 3 anos de grupo, eu tenho me apaixonado cada vez mais pelo programa. Não sei muito bem qual o contexto do seu PET, mas aqui em Fortaleza, ser petiano é ter um diferencial no meio de um mar de gente, é ter mil coisas pra fazer na semana de provas, é abrir mão das férias, do sono e, algumas vezes, da própria opinião. Ser petiano é correr pra chegar na hora, é viver cheio de reuniões, é comer apressado é, muitas vezes, nem comer. Ser petiano é viver rodeado de gente, é ter muitos amigos por perto (pelo menos 12), é ter altas resenhas. Ser petiano é carregar no peito a missão de fazer a diferença, de transformar a vida de algumas pessoas e levar engenharia para quem ainda não sabe bem o que quer da vida. Ser petiano é ser profissional de valor, é carregar valores no peito, valores que podemos revolucionar a nossa história e a história da nossa sociedade. Ser petiano é estar em plena construção, em constantes reparos, retoques que farão de nós pessoas excelentes. PETiano estudante de Engenharia Civil não para nunca!! PET Civil não para!

Por fim, te desejo mais uma vez as boas vindas à Fortaleza e espero profundamente que esse evento te ajude nessa formação de profissional de valor (com bons valores bem sedimentados), capaz e desejosa de fazer a diferença em seu meio e instigado a, no mínimo, tentar mudar a vida das pessoas por meio da atuação no PET e, mais que isso, por meio da Engenharia.

É isso aí, tenha um bom evento! Seja muito bem-vinda à terra do sol!

Abraçãão!!

Laio Guimarães – PET Civil UFC



É, Laio, o que dizer? Foi TOP!!!

E que venha o V CONPET!!! #ouropretei

 

IMG_5249

Laio (PET Civil UFC) com grupo PET Civil UFJF.

 

18221776_1901251566817590_3924940498906379125_n

Foto oficial com camisa do evento – IV CONPET CIVIL.

Este slideshow necessita de JavaScript.