Os 10 Pilares do Gerenciamento de Risco

Os pilares da Gestão de Risco aqui apresentados são utilizados como fundamentos para qualquer Programa de Gerenciamente de Risco que for lido no mercado de trabalho. Esses pilares foram elaborados por Engenheiros a fim de que os programas tenham objetivos e abordagens bem definidas. Os 5 primeiros pilares dizem respeito à engenharia e a sua posição na corporação, enquanto os outros 5 cercam o gerenciamento de um projeto. Vamos aos 5 primeiros pilares:

1. Cultura

Crie uma cultura de gestão de risco e prevenção de sinistros.

Significa incutir na sua empresa como uma parte vital de sua prática de negócios uma visão sobre controle de qualidade e gestão do risco. Esta visão deve tornar-se um valor fundamental da empresa, salientando a importância da gestão de risco para todos os envolvidos, bem como as consequências de ignorar isso. Criar essa cultura requer um Planejamento Estratégico e Operacional. Deve envolver todos os níveis da equipe, inclusive clientes. Qualidade deve prevalecer sobre os lucros. Quando é estabelecido qualidade, os lucros tendem a seguir.

2. Prevenção e Proatividade

Aja com técnicas de prevenção, e não tente apenas reagir.

Desenvolver processos e sistemas dentro da empresa com a prevenção de riscos em mente. O planejamento pode identificar potenciais fontes de risco, e a intervenção correta pode diminuir a gravidade dos acontecimentos. Quando o risco é identificado, um plano deve ser desenvolvido para alterar as condições que levam a esse risco, ou evitar o risco completamente. Claramente, alguns eventos acontecem sem aviso, e temos de reagir. Ter um plano permite uma ação rápida para minimizar os danos que estes eventos podem causar. Um exemplo disso seria ter um plano em prática para lidar com um contratante que quer reduzir o custo pedindo para eliminar serviços. Você tem um plano que lhe permitirá responder prontamente a esse pedido de uma forma que minimize o seu risco?

3. Planejamento

Planeje para se livrar dos imprevistos.

Projetos sem imprevistos não acontecem por acaso, eles exigem um planejamento adequado. O planejamento estratégico contribui para a redução dos imprevistos, levando em consideração itens como contratação  e retenção de pessoal, características do cliente, tipo de projeto, programas de treinamento e programas de garantia de qualidade. Um plano de trabalho deve focar em áreas que contribuem para a redução de riscos, tais como o fluxo de informações, vias de comunicação, negociações de contrato, e definição do escopo. Um plano eficaz, deve ser simples, funcional, e prontamente transmissíveis. O processo deve estar claro para todos os envolvidos, assim como a sua execução. Aliado com o monitoramento das atividades, tudo se encaminha para um projeto sem imprevistos.

4. Comunicação

Comunique-se para conhecer as expectativas e trazer para a realidade.

Os problemas de comunicação são bem conhecidos. Quando todas as partes em um projeto falam suas expectativas e visões é possível resolver e alinhar qualquer diferença que exista inicialmente. Para ser eficaz, a comunicação deve fluir em todas as camadas de atividades do projeto, de modo a que todas as partes sejam informadas. Um bom planejamento levará a uma boa comunicação. Todas as partes devem concordar sobre as formas e diretrizes de comunicação no início do processo. É fundamental desenvolver ferramentas para auxiliar o processo de comunicação, tais como registros de correspondência, gravação de conversas por telefone e protocolo de e-mail.

5. Treinamento

Treine todos da sua equipe para os seus respectivos trabalhos.

O treinamento adequado é a base para se esperar resultados adequados em qualquer campo de trabalho. Engenheiros que possuem uma maior experiência devem de passar seus conhecimentos para a sua equipe. Como profissionais, os engenheiros possuem a confiança de clientes para alcançar objetivos. Experientes profissionais de engenharia desenvolvem habilidade em muitos campos que atuam na gestão de riscos tais como negociação, comunicação e planejamento. Essas habilidades devem ser passadas para os funcionários menos experientes para que todos possam contribuir para gestão de riscos.

Espero que possam utilizar o Gerenciamento de Riscos de forma proativa em sua vida pessoal e profissional,
Para ficar por dentro dos outros 5 pilares, que dizem respeito ao início de um projeto, fique de olho no Blog do PET Civil.

Fonte: CivilEngineer

Anúncios

O que todo o Engenheiro deve saber a respeito de Liderança e Gestão

Artigo do IEEE-USA Today’s Engineer, em tradução livre por Júlia Castro Mendes

Depois de se formar na faculdade, a primeira semana de Eric no emprego como engenheiro foi cheia de desafios de liderança e gestão – mas ele não percebeu isso no momento. Ele estava apenas fazendo o trabalho que lhe fora incumbido. Só trabalho ordinário de um engenheiro iniciante… ou assim ele pensava.

A primeira vista, a atribuição de Eric não parecia muito difícil. Ele foi convidado para auxiliar o engenheiro-chefe com os testes de um novo produto. No entanto, uma análise das tarefas da primeira semana de Eric revela aspectos da obra de engenharia que são praticamente liderança e gestão orientada. Sua missão incluía desafios, tais como:

  • Negociação com a fábrica para a entrega de unidades de teste
  • Planejamento do fluxo de unidades de teste pelo do laboratório de engenharia
  • Obtenção de recursos externos para atender suas necessidades rapidamente
  • Dirigir técnicos em relação aos procedimentos de teste
  • Estimar tempo para completar tarefas
  • Resolução de conflitos e problemas que estavam impedindo o progresso

Eric foi bem apoiado pelo engenheiro-chefe, outros membros sênior da equipe  e seu gerente. Os engenheiros sênior cuidaram de questões difíceis relacionadas com o trabalho de Eric, mas Eric era o encarregado pelas tarefas fundamentais descritas aqui.

Habilidades como negociação, planejamento e influência são exemplos de competências de liderança e gestão. As habilidades técnicas que o trabalho de um engenheiro requer são realmente uma pequena porcentagem das competências necessárias para ser bem sucedido. As competências interpessoais, capacidade empresarial, e sim – as habilidades de liderança e gestão – todos são exigidos em trabalhos de engenharia. E enquanto os engenheiros avançam na profissão, liderança e gestão de competências se tornam mais importantes, independentemente de estarem ou não na pista empresarial.

O que é gestão?

Duas das definições mais fundamentais de gestão são “uso criterioso de meios para realizar um fim”, e “a habilidade de fazer as coisas com a ajuda de pessoas e outros recursos.” Nenhuma destas definições básicas de gestão é exclusiva para pessoas que têm empregos como gerentes.

“Gestão” inclui as tarefas que todos nós fazemos no serviço para manter o nosso trabalho organizado, no caminho certo e eficiente. Muitas são as competências necessárias para a gestão bem sucedida do trabalho, e as pessoas que ocupam cargos de gestão precisam ser especialmente competentes. Um bom gestor de tarefas deve ser bom em:

  • Organização
  • Planejamento
  • Estimativa
  • Comunicação / Documentação
  • Noções de Prioridade
  • Autogestão / Disciplina
  • Avaliação e mitigação de riscos

Quando o gerenciamento de pessoas em qualquer grau está envolvido, as seguintes competências se tornam mais importantes:

  • Habilidades interpessoais
  • Resolução de conflitos
  • Tutoria
  • Treinamento

As qualidades descritas acima são apenas algumas das habilidades que se enquadram na categoria de competências de gestão aplicáveis a praticamente todos os engenheiros. Embora todos sejam importantes, nem todo mundo é bom em todos elas. Apenas permanecer afiado em uma perspectiva técnica é um desafio para a maioria dos engenheiros, porque a tecnologia é complexa e avança rapidamente. Faça o melhor trabalho possível para equilibrar habilidades técnicas com outras competências importantes, e seja grato que as pessoas mais adequadas para a gestão possuem a maior parte dessas responsabilidades.

Como Liderança e Gestão se Diferenciam

Assim como todos os engenheiros precisam de competências de gestão para ter o trabalho feito, um conjunto completamente diferente de competências são igualmente importantes – as habilidades de liderança.

Liderança é totalmente interpessoal, mas a um nível diferente do que as competências interpessoais descritas acima como “de gestão.” Liderança é relativa a influenciar e dirigir os outros para um resultado positivo. Dezenas de características individuais relacionadas à liderança são importantes. Nós vamos responder a uma lista relativamente curta aqui. A tabela abaixo mostra as expectativas gerais para competências de liderança em funções de gestão técnica e de engenharia.

Característica de Liderança Engenheiro Líder Projetista Gerente Técnico Líder Executivo
Influência
Integridade
Habilidades Interpessoais
Desenvolve confiança e respeito
Prioridades Tarefas Tarefas Objetivos Objetivos
Trabalho em Equipe
Constrói em Consenso
Melhora continuamente
Capacita os outros
Atrai seguidores
Inteligência Emocional
Cria Equipes
Bom senso de tempo
Assume riscos calculados
Auxilia o avanço dos outros
Desenvolve outros líderes
Faz Sacrifícios
Visionário/Estrategista
Age com intuição
Constrói relações fortes
Deixa um legado

Estas são as expectativas generalizadas, e não devem ser vistas como sendo absolutas. Por exemplo, os engenheiros podem demonstrar algumas das características que não são verificadas, enquanto nem todos os líderes executivos são capazes de deixar um legado.

Quem pode, eventualmente, ser bom em tudo isto?

Quase ninguém. Infelizmente, em muitas empresas de tecnologia, há uma expectativa de que as pessoas sejam sobre-humanas. Engenheiros muitas vezes são esperados para conduzir projetos complexos enquanto fazem o trabalho técnico. Gestores técnicos são esperados para gerenciarem e liderarem, enquanto se mantêm tecnicamente competentes. É somente razoável esperar proficiência em uma ampla gama de competências até um determinado ponto. A solução para se cobrir todos os aspectos de liderança necessários e funções de gestão não deve ser contratar funcionários sobre-humanos – a solução sensata é distribuir a carga de trabalho.

Quando isso não ocorre naturalmente sob a orientação da alta gerência, gerentes de nível médio e contribuintes individuais precisam se encarregar de garantir que as pessoas não sejam cobradas muito acima de suas capacidades, e que todas as responsabilidades do projeto estejam cobertos por alguém.

Como distribuir as responsabilidades

Os gestores devem compreender plenamente as competências de liderança e de gestão que são necessários para executar projetos e objetivos, e delegar responsabilidades que não são melhor indicados para suas próprias habilidades e interesses. Os membros da equipe deve ser abertos e honestos sobre o seu nível de interesse a respeito das oportunidades para as responsabilidades de liderança e gestão. Os engenheiros precisam ter em mente que a liderança e a gestão são parte de seu trabalho, portanto, não possuir estas responsabilidades não é realmente uma opção.
Quando os gerentes delegarem responsabilidades, os membros da equipe devem comunicar questões e preocupações sobre suas atribuições. Os gestores devem ser sensíveis a eventuais problemas e fazer os ajustes apropriados. Às vezes a negociação é necessária – uma outra competência de liderança.

Como o exemplo do Eric acima, e o de tantos outros colegas, conclui-se que desenvolver continuamente habilidades de liderança e de gestão deve ser uma prioridade para todos os engenheiros.

Autor: Gary C. Hinkle é do setor de Oregon do IEEE e presidente da companhia Auxilium. comentários podem ser enviados para todaysengineer@ieee.org. As opiniões expressadas são apenas do autor.