PET Civil Sem Fronteiras – Universidade do Algarve

petsemfronteiras

por Guilherme Giordano

A maioria das pessoas que pensam em fazer intercâmbio procuram pelo Ciência sem Fronteiras (CsF), um programa do Governo Federal e, que atualmente, é o maior do país. Porém, existem outros programas de intercâmbio dentro das universidades, seja ele ofertado pela própria ou por uma instituição que incentiva a causa. Eu sou uma das pessoas que escolheram outro programa.

Sou Guilherme Giordano de Paula Guimarães, 22 anos, aluno do 9º período de Engenharia Civil da Universidade Federal de Juiz de Fora e realizei de agosto de 2014 a fevereiro de 2015, intercâmbio na Universidade do Algarve, Faro, Portugal.

O programa

Cursar parte da graduação no exterior e ainda vivenciar a língua e a cultura de um país estrangeiro. Aprender novos conteúdos, novas formas de pensar sua área de estudos e ter contato com professores e pesquisadores de referência internacional antes mesmo de concluir o curso superior. Essas são as oportunidades que a Universidade Federal de Juiz de Fora, através da Secretaria de Relações Internacionais, procura oferecer a seus graduandos através do Programa de Intercâmbio Internacional de Graduação – PII-GRAD.

O PII-GRAD tem por objetivo promover o envio de graduandos da UFJF para cursar um ou dois semestres em universidades conveniadas no exterior.

O programa tem crescido sensivelmente desde 2003. Na última edição do PII-GRAD (2014), na qual participei, foram ofertadas 310 vagas, distribuídas em 44 instituições estrangeiras. O número total de bolsas concedidas no último processo seletivo foi de 100. Cada bolsa com o valor único de R$10.000,00, para custear todo o período de intercâmbio. A cada ano, um novo edital é publicado.

As escolhas

A primeira escolha que temos que fazer é se realmente queremos realizar um intercâmbio, e colocarmos isso como prioridade no momento e depois seguir em frente com a ideia.

Eu optei por este programa, principalmente pelo fato da duração ser de seis meses, um período, o que facilitaria no meu tempo de curso para se formar. Gostaria de dizer que foi uma opção pessoal, já que o CsF é uma escolha para muitos da engenharia. O interesante é que o PIIGRAD tem muitas oportunidades para a área de humanas, mas dentro do processo tem espaço para todos. As etapas do meu processo seletivo foram: análise de currículo, carta de motivação e entrevista.

Depois, tive que decidir em qual país e lugar iria realizá-lo, e logo me veio Portugal, já que é um país com grande tradição nas universidades, a exemplo da Universidade de Coimbra (1290) e, sobretudo, falante da língua portuguesa. Além de que, com o valor da bolsa recebido, daria para me sustentar por mais tempo sem auxílio direto dos meus pais. Dentre as opções de universidade, todas tinham boa reputação, então tentei conciliar com a cidade (custo e qualidade de vida) e escolhi a Universidade do Algarve, em Faro.

img

Cidade de Faro

Vídeo

A universidade

A Universidade do Algarve (UAlg) é uma instituição recente, 1979, comparando-a com as antigas universidades portuguesas. Uma universidade referência em biologia marinha e no turismo e que possui excelentes cursos, com professores doutores com experiência em toda Europa.

Suas instalações são modernas e divididas em dois principais campi: Campus Gambelas e Campus Penha. O Instituto Superior de Engenharia se encontra no Campus Penha, próximo ao centro da cidade, e onde cursei Engenharia Civil.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Realizei disciplinas da licenciatura e do mestrado, além de ter cursado uma disciplina de Espanhol. A grade curricular do curso é bem parecida com a do Brasil, visto que as engenharias possuem métodos tradicionais aplicados no mundo inteiro.

Na Europa, a graduação tem a duração de 3 anos, de acordo com a Declaração de Bolonha e com isso, há alguns conteúdos que não são vistos por eles ou abordados de forma mais resumida. Isso para muitos é ruim, mas lá entende-se que é necessário haver um complemento à graduação, como uma pós ou um mestrado e, com isso, tem-se a plena formação.

Uma curiosidade das Universidades Portuguesas, é o traje acadêmico, cada uma possui o seu, com sua particularidade e história. Os portugueses só podem vestir o traje depois de um período determinado e após terem vividos muitas provações em seus trotes. Para os fãs de Harry Potter, a autora J. K. Rowling morou na cidade do Porto, onde obteve diversas inspirações para o primeiro livro. A principal delas é o traje acadêmico.

img7

img8

 Exemplo de Traje Acadêmico

Adaptação

Eu cheguei em agosto, final do verão, então a adaptação do clima foi tranquila. Faro é a capital do Algarve, região sul de Portugal conhecida pelas belas praias e paisagens. Possui todos os serviços de uma cidade de grande porte do Brasil, incluindo Aeroporto Internacional, a diferença é que possui em torno de 60.000 habitantes (2011).

Algarve, Portugal

Algarve, Portugal

Muitos me perguntam sobre o português de Portugal. Na realidade, quando cheguei ficava um pouco sem graça de falar e até chegava a conversar em inglês com alguns portugueses e não entendia muitas expressões e a pronúncia. Com um pouco de convivência, isso muda e vemos que é a mesma língua, porém com expressões diferentes. Alguns tugas dizem que falamos brasileiro, será?

O custo de vida em Portugal é muito baixo comparado com os principais países da Europa, exceto Espanha. Alimentação muito boa e barata, destacando o azeite, bacalhau, vinho e produtos industrializados, que possuem mais opções e que não têm no Brasil. O aluguel é barato já que se divide os apartamentos com mais pessoas. No meu caso morei com mais 3 pessoas e ficava em média 150 euros (500 reais aprox.), por pessoa, com internet, gás, luz e água. Transporte não é caro, já que Faro não é muito grande e estudava próximo a região central. O ônibus mensal era em torno de 30 euros até a praia.

A UAlg, através do Gabinete de Relações Internacionais e Mobilidade (GRIM), proporcionou a Orientation Week, na qual fomos muito bem recepcionados e conhecemos a cultura portuguesa, as instalações da universidade e sua organização e fizemos um tour pela cidade de Faro.

A Universidade do Algarve possui muitos acordos de mobilidade, principalmente o ERASMUS, programa de mobilidade na Europa. Lá em Portugal, é como se fôssemos Erasmus, e sem dúvida, fazemos parte dessa família.

Erasmus 2014-2015 UAlg

Erasmus 2014-2015 UAlg

Oportunidade

Depois de ter retornado ao Brasil, deixo aqui o incentivo à todos para realizarem intercâmbio, seja por mais tempo ou menos, mas vá. Uma experiência para a vida toda, onde conheci pessoas incríveis, de todos os lugares do Brasil e do mundo.

Apesar de morar em Portugal, pude praticar muito o inglês, convivendo com os Erasmus e viajando, ressaltando a importância de se falá-lo. Sem dúvidas, lá é bem mais fácil viajar e oportunidades não faltam.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Deixo aqui o meu agradecimento ao PET Civil, por ter me apoiado na minha escolha e ter sido parte fundamental para minha aprovação no processo. Também agradecer a Universidade do Algarve, minha coordenadora Conceição e ao GRIM.

Anúncios

6 dicas para você sair na frente depois da graduação

Depois de anos de esforço e estudos, em meio ao estresse da monografia e da festa de formatura, nós universitários seremos lançados sem dó para o mercado de trabalho. Mas como um recém-formado pode conseguir um bom emprego se as empresas exigem … Continuar lendo

Universidades do Ciência Sem Fronteiras – Universidade de Brunel

por Julia Castro Mendes. 

Para muitos futuros intercambistas, está chegando um momento crítico do processo: a escolha da universidade de destino. Nessas horas, vale tudo: rankings internacionais, revirar o site da universidade, jogar uma moeda cara/coroa… Mas nenhuma fonte de pesquisa é mais efetiva do que a própria experiência de quem já esteve lá. Por isso, é com muito orgulho que o Blog do PET Civil inaugura sua nova série: Universidades do Ciência Sem Fronteiras. Nossa meta é reunir depoimentos dos estudantes que estudam ou já estudaram no exterior, para ajudar na sua decisão da universidade de destino.

De acordo com as perguntas que eu costumo receber, são 5 os principais tópicos de dúvidas dos candidatos: qualidade da educação para o seu curso específico, facilidade de adaptação, custo de vida, instalações e localização. Vou abordar, então, minhas principais impressões sobre a Universidade de Brunel.

Dados Gerais:

Escalando em Wales com o Clube de Escalada da Universidade de Brunel

Escalando em Wales com o Clube de Escalada da Universidade de Brunel

  • Nome: Julia Mendes
  • Universidade: Universidade de Brunel, Londres
  • Curso: Engenharia Civil com Sustentabilidade
  • Período de intercâmbio: setembro/12 a setembro/13.

 Qualidade da Educação:

A Universidade de Brunel é famosíssima pelas suas Engenharias. Lá tem professores bons e ruins, como qualquer universidade, com o diferencial da pontualidade britânica – as aulas são excepcionalmente bem preparadas, ninguém falta sem aviso prévio, e corrigem os trabalhos nos prazos.

A principal diferença que senti em relação à graduação no Brasil foi a pegada prática das disciplinas: aprendemos a usar softwares comerciais em aula; muitas vezes os professores convidam profissionais da área para dar a aula no lugar deles sobre determinado assunto, e estão mais preocupados em te ensinar as principais aplicações reais das equações do que como demonstrá-las. Eu já escrevi sobre a Educação britânica aqui.

Brunel tem um Centro de Carreiras e Estágios considerado o melhor do Reino Unido ano passado. O Centro divulga vagas abertas, ministra palestras sobre desenvolvimento pessoal (como agir em uma entrevista, por exemplo), e oferece consultoria individual, quando você está se preparando para aplicar para uma vaga (eles revisaram meu currículo). Ainda, o Centro de Habilidades Acadêmicas prepara para a vida acadêmica: palestras e consultoria sobre como redigir bem, como apresentar bem, como estruturar sua monografia, entre outros. Não sendo suficiente, a Universidade também conta com aulas de idiomas – tem francês, alemão, mandarim… Eu fiz francês básico e adorei. Em resumo, o apoio acadêmico em Brunel é excepcionalmente bom!

 Instalações:

O diferencial de Brunel são as instalações esportivas: a universidade alojou atletas durante as Olimpíadas de Londres, e até hoje Usain Bolt treina lá. São quadras de atletismo de última geração, academia, quadras de tênis, parede de escalada, várias quadras poliesportivas indoors e abertas… tudo isso dentro do campus. Lá também tem: mercado, banco, café, alojamentos, bar e boate. Sério mesmo. E as festas são muito boas!

As salas de aula são limpas e bem equipadas. Os laboratórios de Engenharia Civil são novinhos em folha, e muito bem equipados também. Agora, a biblioteca… é apaixonante. São 3 andares de livros, cada andar  tem computadores, mesas para estudo e salinhas para trabalhos em grupo, e um nível de silêncio exigido: no 1º andar, você pode conversar; no 2º andar, pode cochichar, e no 3º, não pode nem respirar alto.

Agora, ao alojamento. Brunel tem vários prédios de alojamentos e abriga cerca de 5 mil alunos. Tem vários tipos de alojamento, e eu tive a felicidade de ficar na suíte individual (foto abaixo). É super-confortável, super-quentinha e muito bem isolada acústicamente. Cada apartamento tem 10 suítes e uma cozinha compartilhada, com fogões, geladeiras e armários individuais. A cozinha e os corredores são limpos pelas tias da limpeza, e nós cuidamos do nosso quartinho só. Atualmente essas suítes não estão saindo mais de graça para nós brasileiros. A última leva que está em Brunel teve que desembolsar uma graninha a mais para ter banheiros individuais. Alguns preferiram guardar o dinheiro para viajar, ou comprar um computador melhorzinho, outros pagaram a diferença para ter mais privacidade… aí vai do costume de cada um, mas até os apartamentos de banheiro conjuntos são confortáveis.

ja foi (3)

Facilidade de Adaptação:

A Universidade de Brunel tem um apoio psicológico excelente aos estrangeiros. Eles organizam viagens, mostras culturais e confraternizações, tem uma linha de telefone 24h no ar quando bater a deprê, e todo o fim de semana tem festa na boate do campus. Muitos brasileiros escolhem Brunel como destino para o CSF, o próprio Coordenador do Programa e pró-reitor de pesquisa da universidade, Prof. Luiz Wrobel, é brasileiro, então sempre haverá pessoas familiares ao seu lado.

Quanto às amizades, eu conheci muitos intercambistas estrangeiros maneiríssimos, e também alguns ingleses. À primeira vista, os ingleses são mesmo um pouco fechados e distantes, mas é pura diferença cultural – eles não adotam uma pessoa nova no grupo com tanta facilidade quanto nós brasileiros. Com o tempo, essas barreiras caem, e os britânicos se mostram grandes parceiros de uma cervejinha depois da aula.

As atividades paralelas como esportes e palestras foram os momentos onde mais conheci pessoas. E são muitas as oportunidades! Brunel tem mais de 200 clubes de esporte e interesses (tem Sociedade dos Fãs de Star Wars, Clube de Arco-e-Flecha, Clube de Escalada, Sociedade das Mulheres na Engenharia…). Lá todos estão unidos por hobbies, e organizam frequentemente confraternizações e atividades voluntárias.  Assim, você se mantem ocupado, aprende coisas novas e conhece pessoas legais.

Sessão de Arquearia

Aula de Arquearia. Em Brunel, você pode testar os esportes em sessões gratuitas antes de escolher quais quer fazer.

Localização e custo de vida:

A Universidade de Brunel está em Uxbridge, extremo oeste de Londres. Ainda é Londres, ou seja: você vai usufruir do auxílio-localidade e dos serviços da capital; mas você não pagará os preços de Londres. Durante minha estadia, uma cerveja no Centro era cerca de £5,00, enquanto em Uxbridge, sai por £3,00.  Isso também é válido para supermercado, corte de cabelo, disk-pizza, realmente mais em conta (embora ainda seja mais caro do que outras cidades no UK). E Uxbridge tem tudo: cinema, shopping, hospital, farmácia, boate, e pubs muito mais legais que o Centro.

O downside de viver no subúrbio é que você terá que pegar um trem por 1 hora e meia toda a vez que quiser visitar o Centro (para turismo, baladas, um restaurante mais legal, etc.). Nada muito longo, com os amigos para conversar e uma música boa no celular. O bright side (além dos preços) é que o Centro é parte de uma metrópole corrida e atribulada, enquanto o subúrbio é tranquilo e muito mais tradicional: ao invés de pubs apinhados de turistas, os pubs em Uxbridge abrigam ingleses gritando pelo futebol deles, tem lareiras e sofás confortáveis.

Na hora de viajar, Brunel está a poucos minutos do aeroporto internacional Heathrow (por onde você provavelmente chegará). Só precisa de 1 ônibus para parar na frente da universidade. Também está próxima do aeroporto Luton e da estação de trem Paddington (para viajar dentro do país). Por outro lado, Brunel está longe do aeroporto de Stansted, de onde saem os principais vôos baratos para outras capitais europeias. A solução é colocar várias músicas na playlist e relaxar.

Em resumo:

Recomendo fortemente a Universidade de Brunel. O apoio pedagógico é excelente e a infraestrutura da universidade é ótima. Eu gostei de morar um pouco afastada do Centro, porque era mais tranquilo (para quem quer focar nos estudos) e mais barato. Só houve desvantagem quando arrumei um estágio (por meio da universidade) e precisava ir e voltar do Centro todos os dias. Ainda assim, não mudaria minha escolha.

Tem muita coisa legal sobre minha experiência no Ciência Sem Fronteiras na série de posts PET Civil Sem Fronteiras. Basta clicar na imagem.

Ainda, dada a necessidade por informações, estamos preparando mais posts de universidades do UK. Confira nas próximas semanas! 🙂

E as dicas finais para a viagem dos sonhos…

petsemfronteiras

Voltar à pátria amada foi uma experiência tão incrível quanto as que passei fora dela. A saudade da família aperta, e 12 horas de vôo parecem quase nada. E agora, com uma tijela de açaí do lado, e uma carninha esquentando na churrasqueira, escrevo aqui as dicas finais pra quem está prestes a embarcar na viagem dos sonhos.

As dicas abaixo valem para muitas viagens internacionais – não somente intercâmbio. Valem também para vários países, apesar de meu foco ser no UK (onde passei o ano). Os slides foram retirados de um bate-papo que ocorreu no PET Civil – UFJF dia 29/08. Os tópicos abaixo representam apenas minha visão pessoal e não são verdades absolutas! Se você teve alguma experiência diferente, fique à vontade para compartilhá-las; novos pontos de vista são sempre bem-vindos.

Eu escrevi aqui coisas que gostaria de ter ouvido de alguém – possivelmente me salvariam 2 (!) celulares roubados na Espanha. Mas se você tem mais alguma dúvida pertinente, coloque nos comentários, e ela será esclarecida assim que possível.

Sem mais delongas, aí vão as…

intercambio 1004 005 006 007 008 009 010 011 012 014 015 016 017

Então, é isso!

Prepare o coração, e faça o máximo desse período inesquecível!

013

Ps. A parte da Espanha é brincadeirinha, viu, gente. O ideal é não dar moleza em lugar nenhum!

Diário de Bordo – A Estrutura das Universidades na Alemanha

Sou João Tito, estudante de engenharia elétrica na UFJF e passei os últimos seis meses na cidade de Rostock, Alemanha, onde fiz um semestre de intercâmbio. Começando pelo processo seletivo, fui através do programa de intercâmbios da própria universidade. O … Continuar lendo